Gaia: CDS garante que não “passa cheques em branco” ao presidente da Câmara

  • Imprimir

 Num comunicado enviado às redações, o CDS-PP de Gaia acusa o presidente da Câmara de Gaia de “mentir” quando afirma que o CDS-PP “vota contra as isenções às coletividades de Gaia”. “O CDS-PP nunca foi contra as isenções às coletividades de Gaia. Mas uma coisa são as isenções a coletividades sociais, desportivas, culturais, de proteção civil e escolares, outra coisa é pretender misturar estas isenções com isenções a pessoas individuais e coletivas privadas, sem que se conheça quais, e quais as razões porque umas têm isenções e outras não”, afirma o CDS.

 

No mesmo comunicado, a comissão política concelhia assegura ainda que “se o presidente da Câmara pretende isentar de taxas todas as entidades, então poderá contar com o apoio do CDS”, contudo, admite que não entende como a autarquia poderá prescindir de todas as receitas numa altura em que a autarquia está endividada.

“O que queremos saber é a quem se destina as isenções a privados. Queremos saber o porquê das grandes isenções concedidas, quais as razões para a sua concessão. Que as mesmas passem pelo escrutínio da Assembleia Municipal para que possam ser convenientemente avaliadas e escortinadas pelos deputados. Não permitir que o presidente favoreça uns, em prejuízo de outros com o objetivo de angariar votos para as eleições autárquicas que se aproximam. É isso que queremos e, por isso, não passamos nem passaremos cheques em branco ao presidente da Câmara”, acrescentam.